fev

27

O que é IEPTB – pesquisa protesto


O IEPTB – Instituto de Protestos de Títulos do Brasil permite fazer consulta pela internet e saber se está inadimplente. O site permite checar situação nos Cartórios de Protestos de Títulos.

No IEPTB, o usuário pode realizar a consulta de protesto e saber se sua situação está regular nos Cartórios de Protestos de Títulos.

Como consultar

Para fazer a consulta, basta digitar o número do CPF ou CNPJ e selecionar o estado de origem.

Para pesquisa entre no site:  http://www.pesquisaprotesto.com.br

Aplicativo para smartphone

Os donos de smartphone também podem fazer a consulta gratuita.

Protesto

Hoje muitas pessoas nem sabem que estão sendo protestadas, desta forma, o site tem como objetivo informar ao cidadão se existe algum protesto em seu nome em algum tabelionato do estado. Caso exista será exibido hora o endereço e o telefone do cartório em que consta a ocorrência para que ele entre em contato.

Diante disso, o site e o app foram desenvolvidos pelo Instituto. Para ter uma base, conforme dados do IEPTB, cerca de 120 mil pessoas são protestadas por ano só no estado do Rio. Em Abril 91 mil pessoas já foram convocadas para regularizar a situação no estado.

De qualquer forma Cartórios de Protestos de Títulos são órgãos vinculados aos Tribunais de Justiça (TJs), onde são enviadas denúncias de credores a respeito de pessoas físicas ou empresas que deixaram de pagar um cheque, uma quantia em dinheiro ou qualquer tipo de título de comércio, depois o tabelionato analisa a denúncia e intima o devedor.

Normalmente em três dias, a pessoa é protestada e levada para SPC, o Serasa e outros órgãos de proteção ao crédito.

Para consulta no IEPTB – Instituto de Protestos de Títulos do Brasil, é possível fazer nos três estados do Sudeste e do Distrito Federal, mas também os moradores do Amazonas (AM), Espírito Santo (ES), Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS), Paraíba (PB), Paraná (PR), Santa Catarina (SC), Tocantins (TO) e Sergipe (SE) poderão ver se existe alguma pendência em seu nome.

Tags : | | |

Deixe uma resposta